A PAPISA DA AUTENTICIDADE

Seguindo a ordem dos Arcanos Maiores, associando com as Essências Florais, é a vez da Papisa. Muito já foi escrito aqui sobre a Papisa (ou Sacerdotiza). Seu conhecimento, entendimento, discrição e capacidade reflexiva são admiráveis. Em alguns momentos se tornam ferramentas valiosas, noutras dificultam a rapidez ou mudança desejada. Tudo depende do que está sendo vivido.

Analisando de perto, a Papisa remete a aspectos femininos. Tanto do Feminino quanto das características femininas. Uma mulher sentada, discreta e fechada em suas vestes, que tem um pergaminho e uma chave em seu colo, com símbolos de espiritualidade e recolhimento. Fala de elevação, sim. Mas fala também da riqueza que toda mulher carrega consigo. Riqueza essa que permite um entendimento profundo de muitas coisas da vida, mas riqueza que é capaz de tornar um ponto simples da vida em pura complexidade. Não é à toa que se fala por aí que só uma mulher para entender outra mulher. Sua mente reflexiva, ampla, perspicaz é capaz de elucidar assuntos dificilmente compreensíveis e também capaz de gerar uma enorme polêmica sobre um assunto corriqueiro. Ou seja, ela é dúbia. Ela é dupla. É a Carta II, afinal de contas. A continuidade, a segunda, a que recebe. Sendo assim, pode ser uma mulher madura ou uma mulher complicada. Ou as duas coisas numa só.

A versão feminina do recolhimento e da sensibilidade pode sentir inseguranças. Pode sentir medo. E, se evita se expor, não é apenas para se proteger, mas também porque não pretende correr o risco de ser autêntica e – junto a isso – acabar incompreendida ou rejeitada. Tanto que ela pede tempo para quase tudo. Precisa de tempo para pensar, para agir (ou esperar que alguém tome a atitude), sente sem demonstrar, sabe sem ensinar. Ela contém, não necessariamente compartilha. Esse estado de constante pensamento e retenção pode criar momentos mais sensíveis e sensações de medo. É por isso que trabalhar a Papisa (ou o comportamento Papisa em alguém) requer equilibrar o que se doa com o que se espera. É saber esperar, mas não protelar. É conseguir entender sem exigir troca. É sentir sem precisar se magoar facilmente. Portanto, a Papisa equilibrada pede que se viva naturalmente aquilo que se é. Buscar a autenticidade sem excessos.

Nos Florais de Bach, uma essência pode equilibrar esses aspectos da mulher receosa, recolhida, temerosa de sua própria força e feminilidade. A Essência Mimulus é aquela que harmoniza a vibração do medo. Medo das coisas do mundo, medo de situações pontuais, de aspectos específicos. Trabalha a sensibilidade excessiva, que às vezes surge como o receio de viver a vida, de encarar desafios do cotidiano, de poder falar o que se quer sem magoar ou ser magoado. Mimulus é indicada para os que temem em silêncio, que carregam seus receios em segredo, evitando falar livremente com outras pessoas sobre seu universo pessoal. Sendo assim, Mimulus pode ser um Floral adequado para que se equilibre na Papisa os medos e inseguranças, a fragilidade e os receios. Ela bem sabe o que teme e o que receia e nem sempre consegue expressar ou expor o que é preciso para o mundo.

Como sempre digo (e escrevo) não vale somente para mulheres. Hoje em dia, muitos homens abarcam essas características. Numa sociedade onde as mulheres avançam em direção ao que desejam, lutam e buscam crescimento e respeito, muitos homens se fragilizaram e perdem o rumo. Não estou vitimizando nem um, nem outro lado, mas constantando que há um desequilíbrio de comportamentos na sociedade requerendo cuidado e atenção. Não são mais as mulheres as únicas s sofrerem desses medos secretos, mas homens também podem se sentir acuados preferindo recolhimento, evitando agir e se magoando sensivelmente.

Por isso, a essência Mimulus pode refletir a necessidade do equilíbrio interior e a busca pela autenticidade sem medos ou receios. Vale sempre reforçar que o Floral não faz milagre. Se você espera tomar um floral e sentir a diferença na hora, não se iluda. A Essência Floral é um caminho sutil para equilibrar a energia pessoal, harmonizando mente e coração, para que alcance paz e, então, possa lidar com tudo de maneira menos arredia. Acontece delicadamente, sem queimar etapas, sem mágica. Usando de forma consciente, pode ser um aliado incrível.

Vale aqui o preceito da Papisa associada ao Mimulus: conhecimento com responsabilidade é sempre o melhor caminho.

Boa Semana a Todos

Abraços e obrigada

Kelma Mazziero

FONTE: http://blog.kelmamazziero.com.br/?p=285

Categorias: TEXTOS OUTROS AUTORES | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: